Estudos e relatórios

Relatório “Educação Financeira para além do conhecimento: estratégias de intervenção no comportamento de poupança”

Falta de autocontrole, excesso de confiança, contabilidade mental, influências sociais e falta de saliência para o tema da poupança são as principais barreiras psicológicas apontadas pelo estudo que desfavorecem a formação de reservas financeiras.

Entre os programas de educação financeira que trabalharam os vieses na tomada de decisão de poupança, o relatório destaca os produtos de poupança com comprometimento “rígido” e “leve” testados nas Filipinas, EUA, Chile e outros países. Mecanismos de inscrição automática, sobretudo em planos de aposentadoria complementar, foram aparentemente bem-sucedidos em incentivar a constituição de reservas de longo prazo. Pequenos lembretes  e regras de bolso são ferramentas que podem aumentar a saliência do comportamento de poupança e a aplicabilidade dos conhecimentos financeiros transmitidos, respectivamente. Intervenções educativas oferecidas nos momentos importantes da vida financeira do indivíduo, como o recebimento do primeiro salário ou o lançamento de um novo sistema de previdência, costumam ter maior eficácia.

O estudo também explica algumas teorias de mudança de comportamento oriundas do campo da psicologia que eventualmente serão aplicadas pela CVM em seus projetos educacionais. Por exemplo, o Modelo Transteorético defende alterações graduais em vez de abruptas para o indivíduo sair da completa falta de consciência da necessidade de mudança até a incorporação e a manutenção de um novo hábito financeiro. Este método foi aplicado nos EUA entre 1996 e 2002 em um programa destinado a fomentar a poupança e reduzir o endividamento da população.

Acesse aqui o relatório.

 

 

Estudo “A Proteção do Investidor nos países Ibero-Americanos”

A Proteção do Investidor é um elemento essencial do funcionamento dos mercados financeiros e um dos principais objetivos dos órgãos reguladores.

Neste estudo se analisam as ações públicas que visam fortalecer o sistema de regulação e supervisão dos mercados de valores mobiliários nos países ibero-americanos e promover a educação financeira. Neste contexto, se abordam os aspectos regulatórios mais relevantes dos países participantes neste trabalho relativos ao enforcement, à supervisão da comercialização, o assessoramento financeiro, a educação e os mecanismos de resolução de conflitos e garantias a favor do investidor. Completa-se a obra com vários trabalhos que descrevem as tendências internacionais referentes à proteção do investidor.

Por outro lado, a fim de que o leitor tenha a sua disposição um guia útil sobre as matérias descritas ao longo deste livro, foi incluído um anexo com as fichas de cada um dos países colaboradores, que oferecem informação prática, incluindo sites e links correspondentes sobre as autoridades responsáveis pela supervisão e regulação, o marco regulatório vigente, as ações e portais sobre educação, os lugares onde os investidores podem fazer consultas, assim como os procedimentos para fazer reclamações.

O estudo foi editado e produzido pela Fundação Instituto Ibero-americano de Mercados de Valores (IIMV), com a participação de especialistas de diversos países e órgãos reguladores, inclusive da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). estudo foi elaborado originalmente em espanhol e lançado em 2013. A tradução do estudo para o português foi realizada pela CVM.

Para fazer o download do estudo A Proteção do Investidor nos Países Ibero-Americanos em PDF, clique na imagem abaixo.

Você pode curtir nossa página no Facebook para ficar sabendo de todas as novidades:

CVM no Facebook  facebook.com/CVMEducacional