Circuit Breaker

A BMFBovespa utiliza em suas operações um mecanismo, chamado circuit breaker, que permite, na hipótese de oscilações mais bruscas nos preços, que as ordens de compra e de venda sejam rebalanceadas e amortecidas. Trata-se de uma proteção à variação exacerbada dos preços em momentos atípicos do mercado.

Por esse mecanismo, a bolsa impõe limites para a variação negativa do índice Bovespa que, se atingidos, interrompem as negociações. Dependendo da força da queda do índice, as regras de interrupção dos negócios mudam.

Assim, conforme a revisão 04, de 07/04/2010, do manual de procedimentos operacionais do segmento bovespa, há 03 (três) regras.

Se o Ibovespa cair 10% (dez por cento) em relação ao fechamento do dia anterior, os negócios serão interrompidos por 30 minutos. Reabertos os negócios, se a queda atingir 15% (quinze por cento) também em relação ao fechamento do dia anterior, a interrupção passa a ser de 01 (uma) hora. Se, novamente após a reabertura dos negócios, a oscilação negativa chegar a 20% (vinte por cento) novamente em relação ao fechamento do dia anterior, a Bolsa poderá suspender os negócios em todos os mercados, por prazo definido a seu critério. Nessa hipótese, a decisão deverá ser comunicada ao mercado.

Na última meia hora de funcionamento do pregão, as regras acima não serão acionadas. Caso haja interrupção dos negócios na penúltima meia hora de negociação, quando reabertos, o horário será prorrogado em no máximo mais 30 (trinta) minutos, sem qualquer outra interrupção, de maneira que se garanta um período final de negociação de 30 (trinta) minutos corridos.